Cuidados com a água para não faltar em nenhum setor

água

As alterações climáticas dentro de uma estação do ano já possuem grandes efeitos, em todo o planeta, no qual, regiões que antes sofriam com a escassez de água, agora sofrem com excesso de chuva e vice-versa, prejudicando economias baseadas em agricultura de sustento e de fornecimento para o mercado consumidor.

Regiões afetadas por enchentes, passam agora por dias sem uma gota de chuva, provocando problemas na saúde da população, com a queda da umidade relativa do ar.

A rota de lençóis freáticos subterrâneos e rios que abastecem regiões metropolitanas secaram, e toda a população precisou aprender a economizar água, para poder ter como realizar tarefas básicas do dia a dia, como tomar banho, lavar a louça e preparar os alimentos.

Empresas comerciais, fábricas e indústrias passaram ser um grande agente na recuperação e reutilização da água, para que os processos fabris não parassem, prejudicando a economia de uma forma geral.

Mas, quais procedimentos podem ser aplicados, para que ninguém seja prejudicado? Que equipamentos podem ser utilizados para a captação e filtragem da água, para que não seja prejudicial à saúde da população?

Identificação de solo permite uso consciente

A investigação geológica de uma área de interesse comercial é o primeiro passo para identificar o tipo de solo em que o empreendimento será instalado.

Este trabalho é realizado por empresas especializadas, que utilizam um conjunto de ferramentas projetadas para a retirada de amostras de materiais rochosos presentes no solo.

A penetração realizada no subsolo é realizada de forma contínua, por meio da sondagem rotativa, retirando as amostras que são denominadas de testemunho, centenas de metros da superfície terrestre abaixo.

Todas as informações geotécnicas e geológicas são utilizadas para que seja definido o tipo de fundação e o método de aplicação construtiva que será aplicada, direcionando equipes quanto ao dimensionamento de áreas aquíferas e exploração de recursos minerais.

Dependendo do tipo de empreendimento comercial aplicado, o sistema de captacao de agua será implementado.

É preciso que a gestão e autorização de uso das águas provenientes de aquífero sejam de responsabilidade dos estados, com um trabalho integrado junto à ANA – Agência Nacional de Águas, que prepara e elabora estudos, em uma ação sobre os recursos hídricos subterrâneos e superficiais de forma sustentável.

Empreendimentos comerciais e residenciais também podem fazer uso de água subterrânea, como perfuração de poços, para uso exclusivo em suas instalações, sem que seja comercializado de forma pública.

A captação de água de chuva também é uma solução encontrada em tempos de crise hídrica, que é bastante utilizada como água de reuso, para a limpeza de áreas comuns, rega de jardins e lavagem de veículos.

Setor industrial precisa seguir leis ambientais

As fábricas e indústrias seguem diretrizes governamentais quanto ao uso e tratamento das águas disponíveis.

Por muito tempo, a preocupação com a poluição foi deixada à parte, em prol do desenvolvimento industrial de regiões em expansão econômica e social.

A partir da criação da Lei 9.605/1998, infratores passaram a sofrer penalização na esfera jurídica, em decorrência de crimes ambientais.

Desta forma, a instalação de uma estação de tratamento de efluentes passou a ser obrigatória na maioria das indústrias, reduzindo de forma significativa a poluição de rios, lagos e mares.

Com isso, diversos benefícios foram observados, como:

  • Preservação ambiental de fauna e flora;
  • Melhora significativa na saúde da população;
  • Diminuição de resíduos poluidores no ambiente;
  • Produtividade de trabalho com mão de obra especializada.

O desenvolvimento social das empresas, junto à população, passou a ser uma parte importante de reconhecimento da marca industrial e dos produtos oferecidos para o mercado consumidor.

O tratamento de efluentes industriais passou a ser uma forma de associar a empresa refletindo respeito ao meio ambiente, além de estar um passo à frente dos concorrentes, angariando mais clientes, levando benefícios para todos os envolvidos.

Setor público também investe em projetos sociais

A rede doméstica de captação e redirecionamento de águas e esgotos também passou a se adequar às leis ambientais.

Muitos municípios passaram a investir em diversos equipamentos públicos, para atender toda a população, tanto da região centralizada quanto de bairros afastados.

A instalação de uma estação de tratamento de esgoto municipal passou a fazer parte do cenários de várias cidades, que passaram a oferecer canalização apropriada, com a captação de águas pluviais, esgoto doméstico e direcionamento para equipamentos que fazem o trabalho de despoluição e readequação da água para o despejo em afluentes e canais de rios.

O zoneamento municipal também observou a necessidade de instalação de ETE compacta em áreas específicas, como bairros voltados para a economia rural e condomínios industriais, que contam com participação público-privada na construção de estações de tratamento de uso exclusivo.

Desta forma, evita-se que falte água em qualquer setor.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *