Entenda o tratamento de resíduos sólidos

A produção de resíduos é um dos grandes problemas da modernidade. O lixo gerado nas indústrias, serviços e pelos cidadãos comuns precisa de uma destinação correta para evitar a disseminação de doenças, a contaminação ambiental, entre outros problemas.

A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS, Lei Nº 12.305/2010) regulamenta a destinação de resíduos ambientalmente correta, seguindo normas operacionais que visam minimizar os impactos dos residuos solidos.

Segundo o licenciamento ambiental, é preciso atentar-se a uma ordem de prioridade na gestão do lixo. Essa ordem parte da opção de não geração de resíduos, passa pela redução da geração, reutilização dos resíduos gerados e o seu posterior tratamento.

Vale mencionar ainda que esse ciclo se encerra na disposição ambientalmente adequada dos rejeitos, de forma que prejudique o mínimo possível o meio ambiente.

Ao destinar corretamente o lixo é possível contribuir para:

  • Reduzir a poluição do solo, lagos e rios;
  • Diminuir os gastos com a limpeza urbana;
  • Aumentar a vida útil de aterros;
  • Diminuir os riscos de endemias, proliferação de vetores e doenças;
  • Melhorar a qualidade de vida dos cidadãos.

Enquanto a falta de investimento ainda é um problema recorrente no Brasil, a tendência mundial é a redução dos resíduos. O resultado, em muitos casos, é a diversificação econômica, já que a reciclagem e coleta de lixo também abre espaço para pequenos empreendedores.

Resíduos de ambientes empresariais

Ao implementar a destinação correta dos resíduos gerados nas empresas e indústrias, os empreendedores cumprem a exigência legal, o que pode até significar economia.

Com a consultoria de empresas especializadas, é possível implantar o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS), e certificar a empresa na ISO14001. A implantação de um PGRS pode ter um custo variável, dependendo do ramo de atividade, tamanho, local e outros aspectos da empresa.

Entretanto, independentemente do porte do empreendimento, é importante a separação do lixo, de acordo com as suas características físicas e químicas. Cumprir toda a Lei de PNRS com relação ao manejo com o lixo, seguindo a ordem de prioridade destacada anteriormente é fundamental.

Reutilização e reciclagem

A geração de lixo é quase inevitável para as atividades humanas, principalmente nos centros urbanos. Por meio da reutilização, é possível dar novos significados aos resíduos sólidos, reaproveitando-os sem transformar a sua natureza física, química ou biológica.

Já a reciclagem pode ser definida como a transformação dos elementos em novos insumos ou produtos, com novas propriedades ou um Pead reciclado preço.

A coleta seletiva facilita o encaminhamento dos materiais, separados geralmente nas categorias: plástico, vidro, papel e metal.

Tratamento dos resíduos

Os resíduos que não puderem ser reaproveitados ou reciclados devem ser encaminhados para tratamentos. O objetivo é torná-los menos agressivos ao meio ambiente e os principais métodos são a compostagem, a digestão anaeróbica, a incineração e a pirólise.

A compostagem é um processo biológico aeróbio, que ocorre na presença de oxigênio, em que há degradação da matéria orgânica, que se transforma em um composto orgânico utilizado como adubo.

Já a digestão anaeróbia, que ocorre na ausência de oxigênio, resulta na formação de gases e líquidos.

Tanto a incineração quanto a pirólise são processos que submetem os resíduos à queima, produzindo energia para ser reaproveitada. A diferença entre os processos, novamente, é a presença de oxigênio na incineração e ausência na pirólise.

Disposição final

A disposição final de resíduos em aterros sanitários deve ser feita apenas depois que todas as possibilidades de tratamento e recuperação forem realizadas.

A Lei 12.305/2010 tornou obrigatória a destinação final adequada, forçando os municípios a extinguir os lixões, lugares sem nenhum preparo para receber o lixo e substituí-los por aterros sanitários.

Os aterros são devidamente impermeabilizados, para evitar a contaminação com o chorume. Neles, o lixo é disposto com camadas de material inerte, geralmente retirado do próprio solo.

Além do tratamento adequado do chorume, nos aterros sanitários também se faz a captação do gás metano, liberado na decomposição do lixo e que pode ser fonte de energia.

Todo o local segue normas operacionais específicas com o objetivo de evitar riscos à saúde e bem-estar públicos e minimizar os impactos ambientais.

No entanto, vale a pena citar que em 2015 o Senado aprovou a prorrogação do prazo para as cidades brasileiras se adaptarem à gestão correta do lixo, sendo que o prazo inicial para a implantação das medidas era até 2014.

Um ponto que merece destaque é a escolha de opções mais sustentáveis, para forma de diminuir a geração de resíduos, como a substituição de utensílios e embalagens plásticas por biodegradáveis.

Para as empresas, uma ideia é trocar produtos e dispositivos plásticos por itens produzidos em PEAD reciclado preço.

O polietileno de alta densidade, originado de resíduos plásticos descartados, é um exemplo de material sustentável. No entanto, vale mencionar que o uso de e bombonas plásticas para transporte de materiais e descarte ainda são muito válidos e – apesar do nome – também são fabricadas em pead.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *