Equipamentos para tratamento que uso na indústria

O Tratamento de águas residuais industriais é algo fundamental para qualquer indústria. Nos mais variados segmentos, resíduos industriais são produzidos o tempo todo e o descarte incorreto causa uma série de problemas ambientais negativos que refletem não só na natureza mas na credibilidade e na responsabilidade social da própria indústria.

Contaminação do solo, problemas de saúde e intoxicação da água são apenas algumas das consequências. Diante disso, não é por acaso que todas as indústrias precisam fazer o tratamento adequado dos efluentes, inclusive por determinação da legislação ambiental brasileira.

Mas, quais equipamentos devem ser usados nesses processos? Como a indústria pode investir nos serviços de tratamento? Quais as consequências de não adotar tal comportamento? Para responder essas e outras dúvidas, esse conteúdo foi pensado especialmente como um material de apoio. Confira!

Equipamentos para tratamento de efluentes

Todo efluente é, na prática, um líquido ou gás considerado como lixo industrial. Todos os resíduos industriais, quando não tratados, são tóxicos e podem causar desde poluição e problemas de saúde até desastres ambientais mais graves como o desequilíbrio no ecossistema aquático, por exemplo.

Por isso, usar técnicas de limpeza e Equipamentos para tratamento de efluentes de forma adequada é fundamental para qualquer indústria.

Investir em produtos como flotadores e decanters, por exemplo, é uma boa forma de tratar adequadamente a água e os resíduos.

No entanto, há dispositivos ainda mais específicos e que podem contribuir muito para esse processo obrigatório nas indústrias. Um exemplo é a Estação compacta de tratamento de efluentes industriais.

Mas o que é esse equipamento na prática?

Assim como as estações de tratamento convencionais, chamadas de ete, esse produto serve para tratar corretamente os efluentes que são produzidos e lançados no chamado esgoto sanitário.

A grande diferença é o formato compacto, ou seja, o tamanho reduzido e a praticidade de uso. Tudo isso, faz com que essa seja uma alternativa muito mais abrangente.

Ou seja, a chamada Estação compacta de tratamento de efluentes industriais pode ser usada tanto para indústrias de pequeno porte como para ambientes comerciais e domésticos. Por isso, as vantagens de investir neste dispositivo são:

  • Mais economia de espaço;

  • Eficiência equivalente a qualquer outra estação;

  • Respeito à legislação ambiental;

  • Mais facilidade na hora de tratar os efluentes.

Como funciona o tratamento de efluentes?

Independente do segmento, todos os processos industriais precisam de água. O fato é comprovado, inclusive por dados divulgados pelo Ministério do Meio Ambiente que revelam que o setor industrial consome 22% da água no mundo inteiro.

No entanto, depois de consumir essa água, a substância vira um resíduo industrial chamado de efluente. Dependendo do tipo da indústria, esse material pode ter desde óleos, areia, metais pesados até substâncias que contaminam o solo, a água e causam doenças.

Por esse motivo, o Tratamento de águas residuais industriais é muito importante. Afinal, esse processo serve para:

  • Remover a carga tóxica dos resíduos;

  • Evitar o despejo de contaminantes no meio ambiente;

  • Tornar a água potável.

Dependendo da indústria, cada efluente pode ser tratado com um equipamento específico, mas as estações servem para todos os resíduos. Na prática, o tratamento dos efluentes ocorre em fases. Confira cada uma delas abaixo:

Separação de resíduos

Antes mesmo de tratar os resíduos, os materiais encontrados no efluente industrial precisam ser separados. Por isso, essa fase consiste em dois processos: gradeamento e desarenação.

Apesar dos nomes distintos, ambos garantem que o efluente seja peneirado, filtrado e separado de outros sólidos, gorduras ou substâncias por meio de grades ou telas.

1ª fase

Depois da separação dos sólidos, a primeira fase tem como objetivo usar processos químicos e físicos para remover os poluentes. Ou seja, é nesse momento que a desinfecção da água é feita, com processos como a neutralização de Ph.

2ª fase

Nesse momento, todas as substâncias passam por processos biológicos. Isso quer dizer que fungos e micro-organismos consomem a composição orgânica da matéria e podem a transformar em substâncias como água e material celular.

3ª fase

Por fim, o efluente se transforma em lodo e isso faz com que a matéria possa ter uma série de serventias como o descarte em aterros sanitários, o uso para adubo ou até mesmo matéria para combustíveis.

Tratamento de efluentes e sustentabilidade ambiental

Além do respeito às leis vigentes no país, o tratamento adequado dos resíduos industriais contribui também para a sustentabilidade ambiental. Ou seja, a indústria em questão preserva o meio ambiente e, de quebra ainda pode conquistar selos ambientais e ter vantagens como:

  • Reconhecimento por uma empresa que preza pelo desenvolvimento sustentável;

  • Aumento da credibilidade com os consumidores;

  • Responsabilidade socioambiental;

  • Reconhecimento como uma marca consciente.

Diante disso, fazer o descarte correto de qualquer efluente industrial é um ganho para todos. A população ganha, pois tem mais qualidade de vida. O meio ambiente ganha, porque os rios e lagos deixam de ser tão contaminados.

Por último, a indústria ganha pelo reconhecimento de todos esses problemas e pela postura consciente que a sustentabilidade ambiental proporciona.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *