Gestão ambiental aplicada à construção civil

A construção civil é uma atividade apontada como a grande geradora de impactos ambientais, com relação ao consumo de recursos naturais, modificação da paisagem e geração de resíduos sólidos.

Por isso um dos grandes desafios do setor é a inclusão da gestão ambiental construção civil na lista de prioridades das construtoras e empreiteiras.

É fundamental a conscientização sobre a importância da destinação correta do lixo gerado nas obras. E isso depende do treinamento e da capacitação dos profissionais.

Entretanto, vale a pena ressaltar que medidas simples, previstas na fase do planejamento da construção, podem ser implementadas nos canteiros de obras.

Algumas medidas são a redução de desperdícios, a reutilização de materiais no próprio canteiro de obras e o encaminhamento de materiais para a reciclagem, com transportadoras credenciadas, caixa de papelão personalizada ou outras formas de organização do lixo, e despejo em local apropriado.

Destinação dos resíduos sólidos

O descarte adequado do entulho e lixo produzido nas construções é de suma importância. Além de prever a destinação adequada, é preciso atentar-se para:

  • Proximidade do destino, reduzindo custos com deslocamento;
  • Destinação de resíduos problemáticos;
  • Possibilidades de reaproveitamento dos materiais na própria obra;
  • Possibilidades de transformação ou reciclagem dos materiais.

A conscientização do canteiro de obras tem benefícios para além da construção e da empresa, e é essencial para o desenvolvimento da sustentabilidade.

Alvenaria, concretos, gesso, cerâmicos e argamassas

As possibilidades de reutilização dos resíduos brutos são grandes, mas muitas vezes dependem da capacidade de processamento dos entulhos no próprio canteiro ou em unidades de reciclagem.

De uma maneira geral, eles podem ser utilizados para aterros, compactação e estabilidade do terreno, preenchimento de vãos na alvenaria. Também compõem material base para pavimentos, contrapisos, concretos não estruturais, dentre outros usos.

Madeira

Resíduos em madeira geralmente são reutilizados e redimensionados para usos diversos. Quando as possibilidades são esgotadas, o material pode ser triturado para alimentar fornos e caldeiras. A triagem dos resíduos se faz essencial, garantindo a qualidade dos materiais e a ausência de contaminantes.

Papel e papelão

Muitos materiais chegam às obras em caixa de papelão atacado ou sacos de papel, e esse resíduo deve ser enviado a cooperativas ou empresas focadas na reciclagem e produção de embalagens.

O armazenamento do material, semelhante ao da madeira, embora ainda mais sensível, deve ser temporário no canteiro, em local seco e reservado.

Plástico e metal

O plástico está nas embalagens e em boa parte dos materiais para o sistema elétrico, como tubulações e conduítes. Já o metal se faz presente em arames, vergalhões, pedaços de tubulações, entre outros itens. Ambos devem ser encaminhados a cooperativas ou empresas de reciclagem de materiais.

Resíduos perigosos

Os resíduos perigosos exigem a destinação com empresas especializadas, que utilizam os materiais para coprocessamento em fornos de cimento.

Alguns exemplos de materiais considerados problemáticos são as tintas, solventes, graxas, óleos e materiais contaminados.

É necessário guardar os itens em local ventilado, sinalizados e com caráter temporário. O uso de um kit de mitigação, com areia ou serragem, auxilia o recolhimento dos materiais em caso de derramamento.

Com relação aos efluentes físico-químicos gerados na lavagem de instrumentos diversos, a água residual deve ser destinada a estações de tratamento de efluentes. Tambores são indicados para lavagens excessivas nos canteiros de obras.

Organização do canteiro de obras

O ideal é que as construções estejam sempre o mais limpas possível, e a organização dos materiais ajuda a evitar desperdícios, resultando em economia.

No canteiro de obras pode haver um profissional focado em circular sistematicamente pelo local, a procura de sobras, materiais que não foram utilizados e que sobraram em quantidade suficiente para a reutilização.

Alguns exemplos são sacos de argamassa contendo apenas uma parte, blocos não utilizados, conduítes com tamanho considerável, entre outros.

Impacto ambiental de materiais

Para a sustentabilidade das obras, é primordial que gestores e proprietários se importem com o meio ambiente.

É necessário evitar áreas de manancial e de proteção permanente, assim como impedir o assoreamento de rios e córregos, danos a sistemas de drenagem, ocupação de locais públicos com resíduos, entre outras ações preocupantes para toda a sociedade.

Normas técnicas e certificações

São diversas as normas técnicas e de segurança dedicadas ao tema, com o objetivo de auxiliar na busca pela sustentabilidade ambiental nas construções, focadas nas relações entre obras, resíduos e meio ambiente.

De uma maneira geral, elas determinam que a destinação adequada dos resíduos sólidos e líquidos gerados nas construções estejam de acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos, Lei Federal 12.305/2010, além de outras legislações estaduais e municipais.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *