Saiba mais sobre a consultoria ambiental do mercado

Toda indústria ou empresa que exerce qualquer atividade que envolve exploração dos recursos naturais, precisa em algum momento de consultoria ambiental.

Afinal, em um momento  no qual a preservação da natureza é uma pauta cada vez mais  presente, as políticas empresariais precisam ser adequadas. A legislação ambiental brasileira já prevê uma série de obrigações e autorizações ambientais para que as empresas funcionem.

No entanto, além de cumprir a lei, adotar uma postura consciente é algo cada vez mais valorizado no ramo empresarial.  Em 2017, a empresa Opinion Box  entrevistou 2040 pessoas e 65% dos participantes afirmaram que deixariam de comprar de uma marca que polui o meio ambiente.

Nesta mesma linha, uma pesquisa divulgada em 2017 pela Tetra Pak revelou que 95% dos brasileiros que foram ouvidos acreditam que a questão ambiental é relevante e será ainda mais em um futuro próximo. Diante desse cenário, o papel das empresas de consultoria ambiental é muito importante.

Afinal, como saber o que é essencial para o meio ambiente e fazer melhorias na gestão ambiental? Como lidar com os alvarás ambientais e a parte burocrática? Se você também tem essas dúvidas, continue lendo e descubra como funciona esse tipo de serviço no mercado.

Consultoria ambiental: o que é e para que serve

Independente do segmento, todo empreendimento ou atividade que causa riscos ambientais, precisa de autorizações emitidas por órgãos de fiscalização. No entanto, nem sempre as empresas contam com uma equipe específica e capacitada em gestão ambiental.

Neste cenário, as Empresas de consultoria ambiental estão ganhando importância, pois o objetivo da consultoria é justamente auxiliar as empresas a avaliarem todas essas questões.

Em um cenário ideal, antes mesmo de iniciar as atividades, as empresas precisam buscar esse apoio. Afinal, qualquer empreendimento precisa avaliar o quanto as atividades exercidas podem causar danos ambientais no local em que estão inseridas. Para reunir todas essas informações, os profissionais e especialistas no assunto geram o chamado diagnóstico ambiental.

Na prática, esse documento traz as seguintes vantagens para a empresa:

  • Conhecimento sobre possíveis danos ambientais por causa da atividade exercida;

  • Base para planejar ações de redução dos impactos ambientais;

  • Informações importantes para solicitar licenças ambientais obrigatórias;

  • Análise de especialistas capacitados no área ambiental;

  • Mais qualidade no planejamento de projetos ambientais.

Ou seja, investir em uma parceria  com uma Consultoria ambiental  é um preço essencial. Uma vez que, sem essas informações, as  empresas correm o risco de esbarrar e desrespeitar a legislação ambiental.

Com isso, além da má reputação perante os consumidores, dependendo da situação, a empresa pode ser enquadrada na Lei nº 9.605/98 que se refere aos crimes ambientais. Nesta  situação, a empresa pode ser multada ou até perder o Licenciamento ambiental – o que paralisa suas atividades.

Licenciamento ambiental

No cenário ambiental brasileiro, a Lei Complementar 140/2011 determina que os estados, municípios e a união fiscalizem todas as atividades e empreendimentos que causem riscos ambientais.
Por isso, antes de ser instalada e funcionar de forma ativa, todas as empresas precisam  procurar os órgãos ambientais competentes. Afinal, toda e qualquer atividade exploratória deve ser avaliada e fiscalizada pelos órgãos que protegem a conservação da fauna e da flora local.
As exigências variam conforme o segmento, a área explorada, a vida da população local e o ecossistema. Mas, independente disso, todas as empresas precisam ter o Licenciamento ambiental (ou mais de um licenciamento) para funcionar de forma correta.
Na prática, esse documento, instituído pela Política Nacional do  Meio Ambiente segue determinações do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), mas as variações podem ser estipuladas pelo município.
Em São Paulo, por exemplo, o órgão responsável por essas autorizações é a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb). Há vários tipos de licenciamentos, mas um critério que determina todo o processo é o porte da indústria e o risco de poluição da atividade realizada pela corporação.
Para empresas pequenas e com baixo risco de poluição, por exemplo, a Licença ambiental simplificada é o suficiente. Como o próprio nome sugere, essa autorização pode ser menos extensa em relação às atividades industriais de grande porte. Basicamente, esse documento serve para:
  • Autorizar a implantação do empreendimento;

  • Detectar danos ambientais da empresa;

  • Garantir que o empreendimento cumpra medidas de preservação.

A diferença entre uma licença simplificada e outros tipos de licenciamento, é que neste caso a autorização é concedida em uma única fase. Geralmente, o Cetesb licenciamento convencional é feito em três etapas:

  • Autorização prévia;

  • Licença de instalação;

  • Licença operacional.

Como os processos são variados e específicos conforme o tipo da empresa, contar com orientações de especialistas no assunto pode facilitar muito essa rotina. Por isso, as empresas que fazem consultoria ambiental estão em alta neste mercado.

Antes de contratar o serviço de uma Consultoria ambiental, uma dica válida é procurar a compatibilidade de experiências da empresa em relação ao segmento da sua empresa.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *