Você sabe quais são os impactos ambientais?

Após a revolução industrial, os impactos humanos causados no meio ambiente tornaram-se muito expressivos. A demanda populacional e o consumo exacerbado das fontes de energia geraram problemas ambientais que até hoje podem ser sentidos.

Atualmente esse é o grande desafio dos pesquisadores, ambientalistas, organizações não-governamentais, governos e comunidades espalhadas ao redor do mundo.

Métodos utilizados na geração de energia elétrica

A maior demanda de nossa atualidade, sem dúvidas, é a geração de energia elétrica, podendo ser extraída de fontes renováveis ou não.

Na última década esse assunto se tornou tão persistente que a Alemanha adotou um plano de desativação de todo o seu sistema nuclear, visando os principais impactos ambientais causado pelo país.

Neste momento as técnicas mais utilizadas para geração de energia são:

  • Energia hidráulica;
  • Energia termelétrica (gás natural, petróleo, carvão mineral, biomassa, entre outros);
  • Energia nuclear;
  • Energia eólica;
  • Energia solar.

Para poder criar medidas e solucionar o grande problema do impacto ambiental, é importante saber que qualquer modificação causada no meio ambiente provocadas pelo homem e suas atividades, já se enquadra na discussão.

A busca frenética por fontes energia levam a grandes discussões mundiais. A título de conhecimento, a Alemanha, por exemplo, acabou desativando suas pesquisas em relação à busca por energia nuclear, tendo consciência de sua grande devastação ambiental.

A proporção de países adeptos a se preocuparem com assuntos ambientais é cada vez maior, e a longo prazo as expectativas são cada vez melhores.

Atividades que geram os maiores índices de impactos ambientais

Pode-se citar inúmeras atividades que desencadeiam problemas ambientais nos dias de hoje, porém os principais impactos ambientais acabam sendo causados pela urbanização e industrialização sem planejamento, a mineração, agropecuária e a extração de petróleo.

Um dos principais problemas diagnosticados é a retirada e desmatamento das áreas verdes para a construção civil (construção de prédios, fábricas, residências e empresas), aumentando consequentemente a poluição atmosférica e os índices de enchentes nas épocas críticas de chuvas.

As principais regiões afetadas diretamente são as regiões metropolitanas, como por exemplo: cidade do Rio de janeiro, São Paulo, Belo Horizonte e outras grandes capitais brasileiras.

A atividade de minerador vem ganhando grande destaque quando o assunto envolve as consequências do consumo exacerbado de recursos naturais.

Por essa razão, acaba sendo classificada como um dos grandes pilares dos impactos ambientais. Isso se deve ao fato de que a porcentagem de contaminações nas águas dos lagos, rios e solo vem crescendo a cada dia.

A mineração além disso também interfere na erosão da terra, na poluição pelos desmatamentos, descarte irregular de substâncias prejudiciais, entre outros.

No mesmo cenário, atualmente a agropecuária é amada por muitos, apesar de, ao mesmo tempo, ser criticada. Isso se deve aos inúmeros prejuízos causados aos cerrados, na floresta amazônica e no pantanal.

As áreas verdes estão deixando de existir para alocar a grande demanda da produção animal, como, por exemplo, a criação de gado. Além desse fator, as plantações de soja e milho vêm ganhando sua parcela de culpa, já que acabam sendo fundamentais ao setor agropecuário.

Vale lembrar que essa atividade não somente atinge a área que se instala. Estudos já comprovaram que o desmatamento da floresta amazônica está intimamente relacionada à redução das chuvas na região sudeste do Brasil.

A extração do petróleo no Brasil se concentra principalmente no litoral sudeste, diminuindo as áreas que devem ser preservadas, afetando diretamente a vida marinha, das aves e mamíferos, tendo em vista que o número de acidentes nas plataformas de petróleo vem crescendo conforme o passar dos anos.

Pequenas atitudes que mudam o panorama ambiental

Em razão da conscientização da população, algumas medidas podem ser aplicadas para que, em conjunto, alcance resultados positivos a longo prazo, como, por exemplo:

  • Economizar água;
  • Coleta e separação de lixos orgânicos;
  • Redução do consumo de energia elétrica;
  • Utilização de produtos ecológicos e biodegradáveis;
  • Aumento da frota de transportes públicos;
  • Educação e informação acessível à população.

Um grande avanço para o meio ambiente

A sucessão de conquistas para o meio ambiente começou a ser concretizada no ano de 1981, com a implantação da primeira lei que transformou o olhar empreendedor das empresas, mudando assim o foco de empreender a qualquer custo, para empreender com sustentabilidade ambiental.

Hoje em dia a fiscalização trabalha em conjunto com os órgãos responsáveis para avaliar os projetos e torná-los aptos à operar de forma sustentável, minimizando assim os efeitos da degradação e poluição, balanceando com o tamanho do empreendimento.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *